Edições Anteriores | Anuncie | Mapa do Site | Fale Conosco  
 
Amarração de Carga
Calculando a segurança

O emprego correto dos equipamentos garante uma fixação
eficiente da carga no caminhão

Atualmente, as formas corretas de fazer a amarração de cargas estão sendo analisadas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Essa entidade, através de uma comissão de estudos, criou normas técnicas que, no futuro, tornarão obrigatório o uso de alguns tipos de equipamentos, materiais e métodos de cálculo que servirão para uma melhor fixação do que é transportado pelos caminhões.

Essas novas normas são determinadas a partir de fórmulas para serem usadas com alguns equipamentos feitos especialmente para a amarração da carga, tais como cintas têxteis, cabos de aço, correntes e cordas. Essas fórmulas não são simples, pois dependem de cálculos complicados e de algumas informações não muito fáceis de serem conseguidas. Tanto é assim, que substituímos essas fórmulas por tabelas prontas, deixando as consultas mais acessíveis.

A amarração vertical ou de atrito é a mais usada. Para que esse tipo de amarração seja mais eficiente, algumas medidas precisam ser tomadas pelos caminhoneiros e transportadoras.

As normas

A ABNT tem um projeto, que deve entrar em vigor em 2010, com os requisitos mínimos de segurança para a amarração de cargas. Tudo é feito por meio de cálculos complicados. Futuramente, porém, essas fórmulas deverão ser simplificadas e poderão ser entendidas por todos. E especialistas em amarração de cargas poderão orientar os caminhoneiros autônomos e transportadoras.

É a primeira vez que normas para a amarração de cargas estão sendo regulamentadas no Brasil. Por isso, elas são desconhecidas de quase todos que lidam com o setor de transporte rodoviário de cargas.

O Contran (Conselho Nacional de Trânsito), desde 2008, tem regras para o transporte de cargas siderúrgicas – como bobinas, tubos metálicos e minérios. São obrigatórias e, quando o caminhoneiro não as obedece, fica sujeito a multas e outras penalidades.


Cálculo para amaração vertical

Para termos a garantia de que a carga será transportada com a máxima segurança na amarração vertical ou de atrito, é preciso saber como dimensionar os equipamentos, sua resistência, largura, capacidades etc.

A compressão correta, ou seja, a força que puxa a carga de encontro ao piso do caminhão, é obtida em uma tabela que determina o número de cintas têxteis com catracas necessário para deixar a carga bem segura.

Os melhores resultados são obtidos quando é usada a menor quantidade de catracas por amarração. Para isso, é preciso utilizar o maior Coeficiente de Atrito (µ) possível – através do uso de borrachas ou mantas especiais. O ângulo da amarração deve ser o mais próximo de 90 graus (ângulo formado entre a base da carroceria do caminhão e a inclinação da cinta). As catracas devem ter alta força de tensão (Ft).


Como funciona uma tabela para a amarração vertical

- Na primeira linha temos o peso da carga – nesta tabela vai de 1 tonelada a 5 toneladas.
- Na primeira coluna temos dois valores de Coeficiente de Atrito: 0,2 e 0,6
(Esses valores estão na tabela Coeficiente de Atrito).
- Na segunda coluna estão os ângulos de inclinação das cintas de amarração.
- Nas outras colunas, vemos quantas cintas são necessárias para amarrar a carga.
- As células vermelhas mostram situações inviáveis. Nelas seria preciso usar um número muito grande de cintas.
A solução seria usar catracas com maior força de tensionamento. Por exemplo, as de 500 kgf ou 750 kgf.


Tabela de amarração vertical

Para catraca com força de tensionamento de 350 kgf

Coeficiente
de atrito
ângulo de
amarração
peso de carga
0.2
90º - 83º
83º - 45º
45º - 30º
1Ton
2Ton
3Ton
4Ton
5Ton
4
9
13
17
22
9
12
18
24
30
9
17
26
34
43
0.6
90º - 83º
83º - 45º
45º - 30º
1
2
2
2
3
1
2
2
3
4
1
2
3
4
5


Alguns coeficientes de atrito

Quanto maior o coeficiente, maior o atrito

Combinações entre materiais µ
Concreto
x
Concreto 0.5
Concreto
x
Concreto com camada de madeira 0.4
Madeira
x
Compensado de madeira 0.35
Caixas de papelão
x
Papelão 0.35
Caixas de papelão
x
Madeira 0.35
Barras de aço
x
Madeira 0.35
Madeira
x
Lâminas de aço ranhuradas 0.2
Barras de ali pintada
x
Barras de aço pintada 0.15
Lâminas de aço oleadas
x
Lâminas de aço oleadas 0.1


Exemplo de uso da tabela

Para uma carga de 5 toneladas. Temos catracas com Ft de 350 kgf. Utilizamos uma manta de borracha especial para conseguir o Coeficiente de Atrito de 0,6 entre a carga e o piso da carroceria. E o ângulo entre as cintas e a plataforma do caminhão é de 60 graus. Consultando a tabela, vemos que precisamos de quatro conjuntos de catracas e cintas têxteis para uma amarração segura.

agosto/setembro 2009

© 2009 revistachapa.com.br - Todos os direitos reservados.
Powered by Yemni